Butão, o país mais “HAPPY” do mundo, de onde vimos a nossa melhor versão

Butão, o país mais “HAPPY” do mundo, de onde vimos a nossa melhor versão

Por Carlos Medeiros, XJourney Travel&Event Concept

Butão, Carlos Medeiros e Sangay 2024

Butão, Carlos Medeiros e Sangay

Butão…Não há uma sem duas, nem duas sem três.

Há experiências na vida que são decisivas, life changing. Podemos falar sobre elas, descreve-las, explicar passo a passo o processo…podemos ir ao mais ínfimo detalhe. Mas nada se compara a experienciar e viver, in loco, o momento, com as pessoas certas e nos locais perfeitos.

E o Butão é isso mesmo, um instante eterno, uma emoção, um acontecimento que nos muda. Mas temos de o saber sentir e acordar os 5 sentidos em cada um de nós.

Muito se pode descobrir sobre o país com uma pesquisa rápida. Sabemos que é o mais feliz do mundo, que medem o seu PIB pela felicidade do povo, que primam pela autenticidade…muito se encontra sobre este destino, sem sequer sairmos da frente de um ecrã.

Mas estar lá, contactar com a Natureza, com as suas gentes, autênticas, únicas… é algo que se vive e que não se explica. As emoções ao rubro.

Ainda assim, farei os possíveis para aqui transmitir um pouco dos sentimentos que o Butão me suscitou e que carregarei comigo para sempre.

Butão, o verdadeiro destino exclusivo

Começo por afirmar que este é o verdadeiro destino exclusivo. O destino onde o luxo está nas experiências, no momento, no agora, na atenção plena de que tanto ouvimos falar, mas que no Butão se pratica.

Há somente duas companhias aéreas que viajam para aqui. A abertura do país ao turismo é recente e, ainda hoje, muito controlada. Porquê? Porque não pretendem um turismo de massas, uma paisagem de hotéis desenfreada… Querem continuar a ser autênticos, a privilegiar a felicidade e bem estar do seu povo e a manter uma estética natural e arquitetónica onde tudo faz sentido.

Tudo é tão inspirador que arrisco dizer que a experiência começa ainda no aeroporto. É aqui que percebemos que não estamos em mais um destino…mas sim no destino. Um espaço exclusivo, inspirado nos templos e nas cores que dominam o país. Até aqui, num espaço que, por norma, é neutro, clean, isento de detalhes e cores, o Butão é diferente.

A espiritualidade e a Natureza em estado puro

É um país espiritual, com uma identidade única que se sente na honestidade das pessoas, na cultura sustentável, nos tecidos das vestes locais que quase todos usam com gosto pelo seu simbolismo. É um país que ama o seu rei, que o considera amigo, um guia. Fazem, inclusive, questão de usar nos seus trajes um crachá com o símbolo da família real. Não porque seja imposto, mas porque sentem orgulho em faze-lo.

Ao longo da minha vida tive oportunidade de viajar pelos quatro cantos do planeta. Conheci pessoas e culturas únicas e diferentes e todas me acrescentam algo… Ainda assim, posso dizer que poucos destinos me impactaram tanto como o Butão. Aliás, esta não foi a minha primeira vez no país e não vai, com certeza, ser a última. Já a sonhar com a próxima estadia com vistas de 360º pelo Himalayas…

É, sim, a primeira vez que escrevo sobre ele… e tanto há para dizer que um artigo não chegará. Acompanhe-nos para estar sempre a par das novidades.

A subida ao Tiger’s Nest

Nos vários momentos que experienciei, superei-me e descobri a minha resiliência. Senti a natureza em estado puro em todos os instantes, principalmente na subida ao Tiger’s Nest, o trilho espiritual que nos leva ao mosteiro tão emblemático, a mais de 3000 metros de altitude.

Este é um desafio aos nossos sentidos, à nossa capacidade física e mental. Acima de tudo, a deixar de lado os pensamentos intrusivos e a focar a atenção no aqui e no agora (um conceito tão difícil para nós ocidentais).

Desta vez fui ainda mais “alto” e, com o meu Guia e amigo local Sangay, da Wing Trip, fomos até Bumdra. A 4.000mt de altitude encontramos o templo, cujo nome significa ‘a rocha com cem mil pegadas de dakinis’ (seres celestiais femininos). Diz a lenda que, há cerca de 800 anos, cem mil dakinis voaram para este local e deixaram as suas pegadas na rocha, carimbando o seu significado espiritual.

Na subida pela montanha, com vistas infindáveis de uma beleza extrema, encontrei momentos de sol, calor, frio, uma tempestade de granizo e muitos desafios. Dias antes tinha estado no Rio de Janeiro e as caminhadas no calçadão foram a única preparação física que fiz. Apesar dos 14km diários…não temos o desafio da altitude, claro.

Resiliência e superação, no Butão

Quando me propus a subir esta montanha recheada de verdura, flores coloridas, um cheiro magnifico de pura vida e uma vibe especial, não sabia se ia chegar ao cimo, até porque foi algo que decidi no momento. Mas esse não era o principal objetivo. Mais importante que o destino, eram as trilhas ao cume e a capacidade que tinha de me alhear do meu dia a dia, incrementando ao máximo a minha capacidade de exercitar momentos de meditação.

A cada passo os cinco sentidos são despertos pela natureza. Árvores centenárias, cheiro a vida, paisagens que emocionam e nos tiram o fôlego… mais do que a própria altitude.

Um almoço aos 3.000mt, junto de um templo e com a melhor vista de sempre… trazido por um membro do staff do “base camp”, em Bumdra, acompanhado de uma burra (sim, uma verdadeira burra, no mais bucólico dos cenários). Este foi o verdadeiro luxo.  A meio de uma árdua caminhada, poder parar, respirar e sentir o acolhimento das gentes locais, que nos dão o que de melhor têm e que sabe ao melhor do mundo.

Depois de cerca de 4h30m em subida aos zig zags, eu e o Sangay avistamos um grupo de cavalos e gado que pastavam num vale completamente branco, rodeado de paisagens recortadas pelas diversas montanhas com as suas formas e picos brancos. Tal como se se tratassem de vários bolos decorados com glacé de açúcar.

A um passo do topo da montanha…

Tínhamos chegado ao base camp de Bumdra, onde iriamos pernoitar num simpático acampamento. Estávamos um pouco molhados da tempestade de granizo que apanhámos durante a subida e fomos de imediato para as nossas tendas. Um detalhe… estavam 5 graus negativos.

Fomos recebidos na tenda das refeições, onde nos esperava um chá maravilhoso e um saco de agua quente que, de imediato, coloquei entre os braços e barriga. Um bom sono nos esperava após um excelente repasto com gastronomia local…

Com o nariz meio geladito, mas com a adrenalina ao rubro, acabei por adormecer e acordar pelas 5h00, pronto para iniciar aquele que me parecia vir a ser um dia absolutamente fantástico.

Manhã de maravilhas, tal e qual Alice…

Depois de um excelente pequeno almoço repleto de calorias e muito picante, com direito a uma manha solarenga, iniciamos a descida com uma visita e meditação rápida no templo de Bumdra. Esperavam-nos umas boas 2/3 horas de descida até ao Tiger´s Nest, entre paisagens coloridas, repletas de flores, cascatas de uma frescura intensa e, ainda, os raios de sol que deambulavam entre as árvores gigantes que se opunham entre a nossa descida e o céu azul cheio de nuvens que mais pareciam algodão doce. Perfeitas para quem quisesse degustar durante este caminho irreal…cheguei a pensar se não estaria no trilho da Alice no País das Maravilhas.

Ao contrário da últimas vezes, chegámos ao topo do Tiger’s Nest de cima para baixo e com vista do templo à esquerda. Após 2h45m de descida em modo caminhada meditativa, foi um momento de superação e inspiração. Este foi um dos acontecimentos de que falei mais acima…que não se conseguem explicar, pois só se podem sentir.

Os diversos templos que vamos passando, as pessoas com quem vamos falando, o contacto com os Himalayas, o toque na terra e nas cascatas que escorriam ao longo de todo este caminho prometedor e o abraço a algumas das árvores que me chamavam… deram-nos a coragem para terminar a segunda parte deste desafio: O Tiger´s Nest.

Esta experiência no Butão também pode ser sua

Ao iniciar-me nesta minha nova fase de vida com momentos&experiências, lanço o desafio para que possa também participar e usufruir destas nossas dicas de viagens.

Na nossa boutique Xjourney Travel primamos por destinos e experiências únicas e exclusivas e o Butão é, sem duvida,  um dos nossos TOP 5 de  locais favoritos em todo o mundo. O turismo é responsável, limitado e exclusivo. Contamos com o melhor dos parceiros e amigos locais, que nos permitem viver o país da melhor forma.

Desde a minha primeira visita ao Butão e durante as diversas estadias entre Paro, Thimpu e Punaca, tive a sorte de ter como guia local e espiritual o Sangay, com quem partilhei também experiências de vida. Um Butanês autêntico, que nos inspira a ser mais e melhor. Que acredita que conseguimos, mesmo quando duvidamos de nos próprios. A superação ao nosso alcance. “WE DID IT”!!!

Um trimestre, três continentes…um mês três destinos

Depois de mais de 45 anos de viagens por este belo planeta e particularmente esta estadia em Abril por Bangkok, Cambodja e Butão, quero acreditar que sou um SER diferente.

Vivi a Ásia no seu melhor, com uma “caixa de bombons altamente gourmets” no meu regaço e usufrui de uma degustação em pleno, por vales e montanhas nos Himalayas. Posso dizer que aproveitei o melhor do Butão!

Junte-se a nós nestes momentos de vida honesta, pura e repleta de emoções&alma.

Ajudamos a superar as suas expectativas e a viver a experiência de um novo conceito de vida.

O Butão ajuda-nos a ser a nossa melhor versão e nós queremos estar consigo para que possa experienciar este destino X….

Pode aceder a mais informações visite a nossa página sobre o Butão. Pode falar já connosco para começar a planear.

 

Fale connosco e comece já a planear

O Butão pode ser a sua experiência também. A nossa equipa de produtores terá todo o gosto em apresentar-lhe este destino e planear consigo.

Quero saber mais